19 dezembro 2008

Peixes que mudam de sexo




Olá a todos

Alguns meses atrás, mais precisamente no dia 27 de Julho deste ano, ganhei alguns exemplares de Guppy Endlers (Poecilia wingei) do Reinaldo, era um pequeno grupo com algumas fêmeas e apenas um macho. Pouco depois de ganhar os peixes acabei perdendo o machinho ficando apenas com 6 fêmeas, de lá para cá foram pouco mais de 4 meses e como na época as fêmeas eram minúsculas não chegou a ocorrer fecundação. Fiquei triste por só ter ficado com fêmeas e ainda por cima nenhuma fecundada, comentei com o Reinaldo e a Chantal o fato e eles me disseram que iriam me passar um machinho para as minhas fêmeas aproveitarem a vidinha... 

No final do mês passado, ao alimentar os peixes, reparei que uma das minhas fêmeas estava apresentando uma coloração um pouco diferente... estranhei e fiquei observando... o corpo continuava dourado (característica de algumas fêmeas de endlers), a nadadeira anal em forma de leque e o ventre roliço. Pensei comigo mesma “mas que diabos? Não era para ela apresentar essas cores”, na hora percebi o que estava acontecendo: minha população de endlers era constituída apenas por fêmeas já fazia meses e, devido a este desequilíbrio ambiental, uma delas estava mudando de sexo!!!
Mas espera aí, mudando de sexo? Isso acontece com peixes? 


Sim, não é um fenômeno comum, mas acontece...

Vocês sabiam que 10% das espécies de peixes trocam de sexo uma vez na vida? Os peixes passam de fêmea para macho, ou vice-versa, em um processo – chamado de inversão sexual - que leva algumas semanas para se completar. A inversão sexual ocorre quando a proporção entre os dois sexos sofre algum desequilíbrio e é através dela que a espécie aumenta as chances de ocorrer uma reprodução bem sucedida.
A inversão sexual é a capacidade de trocar de sexo a partir de estímulos do ambiente. Os peixes transexuais são divididos em dois grupos:

Peixes Protândricos: Quando jovens, têm glândulas sexuais potencialmente capazes de produzir óvulos e espermatozóides, ao atingirem o estágio de pré-adultos, tornam-se machos sexualmente ativos. Parte desses machos, os mais agressivos, vão desenvolver mais tarde a área feminina de suas glândulas sexuais. Não produzirão mais espermatozóides e se tornarão adultos completos. Todos os outros peixes do grupo terão seu crescimento sexual inibido. Exemplo disso é o caso do peixe palhaço Amphiprion melanopus.

Peixes Protogínicos: Este tipo de inversão sexual reúne 90% dos peixes que trocam de sexo. Neste grupo, os peixes têm ovários em sua primeira fase; as glândulas transformam-se em testículos na segunda fase. A inversão só acontece uma vez e não se realiza sempre. Exemplo: Garoupa, Mero, Cherne, Guppy Endlers, Molinésia...

Quando em uma espécie os indivíduos são sempre macho ou fêmea, nunca ocorrendo mudança de sexo, é dado o nome de gonocorismo. Algumas espécies são ao mesmo tempo transexuais e gonocóricas: incluem indivíduos que são sempre machos (ou fêmeas) e indivíduos capazes de trocar de sexo. Essas espécies são chamadas de diândricas.
E como o ambiente influencia na fisiologia desses animais?
As chamadas "dicas ambientais" podem ser consideradas como gatilhos que desencadeiam os processos de vitelogênese, ou seja, a incorporação de vitelos nos óvulos das fêmeas, assim como o processo de maturação final e ovulação. Intrinsecamente, a reprodução é controlada pelo eixo hipotálamo-hipófise-gônadas, um sistema em cascata de liberação de hormônios e neuro-hormônios que traduzem as condições ambientais para a fisiolgia dos animais, definindo assim o sucesso reprodutivo dos indivíduos.
Nesse eixo endócrino, os neurônios hipotalâmicos sintetizam e liberam o GnRH (hormônio liberador de gonadotropinas) que estimula a hipófise a liberar as gonadotropinas (glicoproteínas), FSH (hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante). Esses hormônios hipofisários agem sobre as gônadas (ovários e testículos) estimulando a síntese dos chamados esteróides gonadais - estradiol, progesterona e testosterona - dependendo do sexo e do momento do ciclo considerado.
As pesquisas sobre inversão sexual entre os peixes começaram há vinte anos e elas mostram que o fenômeno ocorre muito em lugares de águas quentes e rasas. Exemplos: Mar Vermelho; Oceano Índico ou certas regiões do Pacífico; No Brasil, em certos pontos do litoral do Rio de Janeiro e do Nordeste; No Rio Grande do Sul, embora a água não permaneça quente durante um período muito longo do ano, há peixes transexuais, entre eles o Pargo rosa (Pagrus pagrus).

Uma curiosidade que encontrei, ao pesquisar sobre o assunto, foi que todos os membros da subfamília Epinephelinae (Garoupas, Meros, Chernes, etc) são peixes hermafroditas protogínicos, ou seja, vivem inicialmente como fêmeas transformando-se, a partir de determinada altura e irreversivelmente, em machos.
Para resumir: O peixe Protogínico nasce e se desenvolve como fêmea quando, por algum estímulo ambiental, acaba virando um macho. O peixe Protândrico nasce e se desenvolve como macho quando, por algum estímuloo ambiental, acaba virando uma fêmea.
Mas e o caso da minha fêmea que virou macho? Sim, a esta altura do campeonato ela já virou um machinho e inclusive persegue as outras fêmeas com o gonopódio todo “animado”...
No caso da minha fêmea protogínica eu tirei fotos para mostrar a sua transformação de fêmea em macho, elas vão desde o momento em que eu percebi as cores diferentes até ela desenvolver completamente o gonopódio e passar a ser tratada por “ele”. Seguem as fotos:


Como eu não tinha uma foto dela antes, segue esta de outra fêmea apenas como exemplo de como ela era, notem a cor dourada e nadadeira anal em leque.



Esta foto foi tirada no dia 29 de novembro, ela ainda tinha ventre roliço, corpo dourado e nadadeira anal em leque, mas já tinha começado a apresentar cores e manchas.





Outra foto, desta vez com a nadadeira anal um pouco mais "fechada".




Foto mais próxima, percebebam que a nadadeira já está se modificando (foto tirada em 01/12).




Cores se intensificando, nadadeira anal continuando a transformação (foto tirada em 04/12).




Já começando a perseguir as outras fêmeas (foto tirada em 05/12).




Apresentando cores fortes também na nadadeira dorsal, a mancha negra no corpo está ficando mais intensa e a nadadeira anal já se transformou em um gonopódio (foto tirada 08/12).




Perseguindo uma das fêmeas e já apontando o recém-adquirido gonopódio (foto tirada em 08/12).




Com o corpo completamente mudado, o que era nadadeira anal em forma de leque virou um gonopódio, o corpo antes inteiro dourado agora apresenta cores e manchas definidas e o ventre já não está tão roliço como antes (foto tirada em 13/12).


Foto atual (21/03/09)

Bom pessoal basicamente é isso, eu achei interessante partilhar este acontecimento com vocês porque é um assunto um pouco "diferente". Gostaria de pedir desculpas pela falta de foco na maioria das fotos, mas essa criaturinha é muito rápida e eu bem lerda hahahaha...Para quem tiver curiosidade, fica o significado das palavras:
Protandria: (do grego prótos – primeiro + andrós – macho) Traduzido ao pé da letra seria algo como Primeiro macho, ou o macho primeiro.
Protoginia: (do grego prótos – primeiro + gyne – fêmea) Traduzido ao pé da letra seria algo como Primeiro fêmea, ou a fêmea primeiro.

Cinthia Emerich

Bibliografia consultada:

Macho, mas por pouco tempo - Como os peixes trocam de sexo.

5 comentários:

NaturePlanet disse...

Muito legal o artigo Cinthia, meusparabéns!!!
;)

Lucas disse...

artigo mto interessante, e que coisa, já havia visto em algum documentário, mas nunca pensei q ocorria com esses gupys hehehe

EDSON disse...

Bióloga, é bióloga; parabéns..
mas esse "macho" conseguiu fecundar as femeas??
e filhos do mesmo são férteis??

beto disse...

Cinthia, meus parabéns! REalmente eu não fazia idéia de que isso aconteceria! Excelente pesquisa e registro fotográfico!
Se vc permitisse, eu gostaria de postar um link dessa sua pesquisa em meu blog, no intuito de difundir o conhecimento acerca do aquarismo!

Daryh disse...

gostaria muito de entre em contato com vc, gostaria de coloca sua pesquisa em uma revista cientifica q minha escola qr fazer.. se puder mande um imail para mim.
daryh_cristina@hotmail.com